Pesquisar

Entrar

Jooble

Emprego em Portugal
YouCMSAndBlog Module Generator Wizard Plugin
YouCMSAndBlog Module Generator Wizard Plugin
YouCMSAndBlog Module Generator Wizard Plugin

Anuncios


Designed by:
SiteGround web hosting Joomla Templates
Retenção na fonte sobe e 80% do rendimento passa a ser tributado PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Jornal Economico   
Terça, 16 Outubro 2012 10:41

No jornal económico saiu a seguinte noticia sobre alterações no Orçamento de Estado para os trabalhadores independentes:

"Os trabalhadores com recibos verdes que estejam abrangidos pelo regime simplificado vão pagar mais IRS em 2013, de acordo com a proposta de Orçamento do Estado para 2013 (OE/13) ontem entregue no Parlamento. Isto porque os contribuintes passarão a ter uma fatia maior do rendimento sujeito a IRS e um aumento nas retenções na fonte.


Assim, se até aqui o Fisco considerava 30% do rendimento anual ganho como despesa, sujeitando a IRS os restantes 70%, a percentagem de despesa desce agora para 20%. Desta forma, 80% do que os contribuintes ganharem será tributado no IRS. Outra das alterações tem a ver com o agravamento da retenção na fonte que até aqui era de 21,5% e passa agora a ser de 25%.

Houve, no entanto, uma alteração para os trabalhadores independentes que a equipa de Vítor Gaspar tinha incluído na versão preliminar e que acabou agora por cair. Na versão anterior do OE/13, previam-se regras mais apertadas para se ter direito a optar pelo regime simplificado de IRS. Até aqui quem tivesse rendimentos até 150 mil euros podia ficar abrangido pelo regime simplificado. Mas as Finanças, queriam introduzir um novo limite: só quem ganhasse até 100 mil euros em rendimentos que não tivessem origem em vendas de mercadorias e produtos podiam estar no regime simplificado. Acima daquele valor tinham de ter contabilidade organizada, com todos os custos que isso implicaria.

Para o partner da Ernst & Young, Paulo Mendonça, este foi um "recuo muito significativo" para os trabalhadores independentes.

As simulações da consultora para o Diário Económico mostram agravamentos importantes da carga fiscal. Por exemplo, um casal em que ambos são trabalhadores independentes com dois filhos e que recebam conjuntamente 2.250 pagarão mais do dobro em IRS: 4.358,30 euros. "